terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Resenha: Justiça a Qualquer Preço


Sinopse: Mark, Todd e Zola ingressaram na faculdade de Direito porque queriam mudar o mundo e torná-lo um lugar melhor. Fizeram empréstimos altíssimos para pagar uma instituição de ponta e agora, cursando o último semestre, descobrem que os formandos raramente passam no exame da Ordem dos Advogados e, muito menos, conseguem bons empregos. Quando ficam sabendo que a universidade pertence a um obscuro operador de investimentos de alto risco que, por acaso, também é dono de um banco especializado em empréstimos estudantis, os três se dão conta de que caíram no grande golpe das faculdades de Direito. Então eles começam a bolar uma forma de se livrar da dívida esmagadora, desmascarar o banco e o esquema fraudulento e ainda ganhar alguns trocados no caminho. Mas, para isso, precisam abandonar a faculdade, fingir que são habilitados a exercer a profissão e entrar em uma batalha contra um bilionário e o FBI.

Esse é um livro controverso, John Grisham é famoso por suas histórias que se passam em tribunais, com protagonistas que são grandes advogados com muita ética que batalham contra grandes corporações. Em Justiça a qualquer preço, porém, são estudantes de direitos fracassados, com falha de caráter que partem para o crime.

O trio de protagonistas, embora sejam apenas estudantes, são mergulhados em dramas e problemas pessoais interessantes, com seus pequenos golpes nos tribunais. O leitor fica dividido, sem saber se torce pro grupo ou contra ele! Não há heróis nessa história, todos possuem falhas e são bem humanos o que torna a narrativa bem próxima da realidade, uma das tramas mais interessante envolve a questão da deportação de imigrantes, provavelmente influenciada pelas políticas do atual presidente norte-americano.

É uma leitura fácil, o estilo do autor é bem fluído, com boas descrições que nos fazem sentir bem próximo a eles. O drama da dívida impagável e a crítica às grandes corporações não são o foco principal, como a sinopse sugere, mas são o pontapé inicial para várias decisões desastrosas de três pessoas que colocam a culpa na faculdade, no banco, no desemprego... menos em si mesmos pelas suas más escolhas.

Como na maioria de suas obras, Grisham mistura a ficção com um profundo conhecimento dos corredores e dos porões da Justiça americana para nos dar um instigante livro que prende a sua atenção e motiva uma leitura concentrada. Os membros do judiciário dos EUA devem temer cada vez que ele escreve algo.


Por ser tão controverso, ainda não sei o que pensar do final, como não se torce por ninguém é difícil saber se é feliz ou não. É muito bom quando se sai de uma leitura se questionando, tendo mais perguntas do que respostas sobre ética e sobre o que é, realmente, justiça. Palmas a Ghrisham por isso!

Um comentário:

  1. Concordo quando diz que quando saímos de uma leitura nos questionando é bacana, mas dependendo do livro, se o autor deixa falhas, lacunas, acho que não é legal, espero que não seja o caso desse.
    Eu adorei a premissa do livro, a capa também achei bem legal, anotei a dica pra ler futuramente.
    Eu adoro livros que abordam essa temática de "justiça a todo custo" pela premissa desse, acho que poderia até virar um filme,RS
    Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Os Pilares da Terra ganhará prequel

Ken Follet anunciou em um vídeo, em dezembro, que havia feito o rascunho de um prequel de Pilares da Terra. Para quem não sabe, p...

Ads Top

Instagram

Outlander

Além das Séries